Notícia

RS: boi teve preços firmes e escalas de abate razoáveis, diz Agência Safras

Porto Alegre/RS O mercado brasileiro de carne bovina iniciou a semana com preços acomodados em boa parte do país. Os frigoríficos de maior porte ainda se deparam com uma posição ainda mais confortável, considerando a incidência de contratos a termo e dos confinamentos próprios que atendem a maior parcela da demanda dessas unidades em questão. A oferta de boi gordo permanece em bom nível no Norte do país. Apesar das dificuldades logísticas, essa oferta segue ajudando a atender a demanda por carne bovina em todo o Centro-Sul do país. Apesar do frete, ICMS e outras tributações, ainda é bastante vantajoso buscar o boi gordo no Norte do país,e também no norte do Mato Grosso. Frigoríficos paulistas usam amplamente esse expediente, principalmente os frigoríficos de maior porte. As exportações de carne bovina "in natura" do Brasil renderam US$ 151,3 milhões em outubro (sete dias úteis), com média diária de US$ 21,6 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 37,2 mil toneladas, com média diária de 5,3 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 4.066,0. Entre setembro e outubro, houve uma alta de 3,9% no valor médio exportado, um avanço de 16,2% na quantidade e baixa de 10,6% no preço médio. Na relação entre outubro de 2015 e o mesmo mês de 2014, houve recuo de 12,1% no valor total exportado, alta de 7,8% na quantidade total, e desvalorização de 18,5% no preço médio. A média semanal de preços (de 13 a 15 de outubro) em São Paulo foi de R$ 146,33 a arroba. Em Mato Grosso do Sul, o preço ficou em R$ 137,16. Em Minas Gerais, a arroba ficou em R$ 143,00. Em Goiás, a arroba se manteve em 140,00. Em Mato Grosso, o preço se manteve em R$ 130,00. No atacado, a média semanal de preços ficou em R$ 11,80 nos cortes de traseiro e de R$ 8,20 nos cortes de traseiro. Fonte: Agência Safras