Notícia

Crescimento do mercado mundial de carnes em números

Em coletiva de imprensa realizada em São Paulo (SP), no mês passado, sobre a feira IFFA 2016, a Associação Profissional de Máquinas de Processamento de Alimentos e Máq. de Embalagem (VDMA), da Alemanha, expôs uma série de dados estatísticos compilados junto à Euromonitor International. A apresentação foi assinada pelo diretor-geral da VDMA, Richard Clemens, que é o idealizador profissional responsável pela IFFA. Segundo os dados apresentados, o consumo global de carnes em 2014 teve um volume de vendas de 225 milhões de toneladas. Para 2019, espera-se crescimento de 13,7%, para 256 milhões de toneladas. Entre 2014 e 2019, o crescimento estimado do consumo por regiões é de 17% para Oriente Médio/África, 13% para Ásia, 13% para América Latina, 13% para Europa Oriental, 3% para América do Norte e 2% para Europa Ocidental. No ranking dos dez maiores mercados nacionais de carnes frescas, o Brasil aparece em terceiro lugar, atrás de China e Estados Unidos. Para 2019, a Euromonitor estima um crescimento nas vendas de 17,4% no Brasil. No ano passado, os chineses consumiram 65,48 milhões de toneladas de carnes frescas (ou 48,2 kg per capita), os norte-americanos consumiram 24,31 milhões de toneladas (76,24 kg per capita) e os brasileiros, 19,83 milhões de toneladas (98,95 kg per capita). Os cálculos para os dados por habitante foram feitos pela CarneTec, levando-se em conta as populações de 1,357 bilhão de pessoas na China, 318,9 milhões nos EUA e 200,4 milhões de brasileiros. Na sequência do ranking, aparecem: Índia (7,65 milhões de toneladas), Rússia (7,29 milhões de t), México (5,62 milhões de t), Alemanha (3,85 milhões de t), Japão (3,73 milhões de t), Argentina (3,46 milhões de t) e França (3,34 milhões de t). CARNETEC