Notícia

Marfrig: vendas de carne bovina para a China estão retraídas

Isso fez com que a empresa tentasse contornar a situação direcionando a produção para mercados mais remuneradores, como o doméstico, o Chile e o Egito O Diretor-Presidente (CEO) global da Marfrig Global Foods, Martin Secco, afirmou que, assim como a JBS, as vendas de carne bovina pelo Brasil da empresa para a China também estão retraídas. Ele, no entanto, disse que essa mudança na comercialização acontece há pelo menos duas ou três semanas. Na terça-feira, 14, no mesmo evento, a JBS confirmou a redução em 70%, nos últimos 50 dias, dos embarques de carne bovina da companhia para o país asiático. Secco também afirmou que o problema foi a recente valorização do real, que reduziu o faturamento das vendas na conversão para a moeda brasileira, e fez com que a empresa tentasse elevar os preços, algo não aceito pelos compradores chineses. Segundo Secco, isso fez com que a empresa tentasse contornar a situação direcionando a produção para mercados mais remuneradores, como o doméstico, o Chile e o Egito. “Maio foi o mês recorde em exportações totais da Marfrig, mas em junho já vamos ter esta retração, com a queda da China”, afirmou, ressaltando que isso deve afetar as exportações totais dos frigoríficos brasileiros. Ele acrescentou que a mudança do câmbio do patamar de R$ 4 para R$ 3,50 reduziu em cerca de 10% o faturamento com as exportações da Marfrig. “Os frigoríficos brasileiros querem aumentar os preços, mas os mercados não aceitam”, disse Secco a jornalistas durante a BeefExpo, informando que as compras chinesas correspondem a 15% a 20% das exportações da Marfrig pelo Brasil e a 50% dos embarques via Uruguai. “O Uruguai, no entanto, tem outros mercados para buscar, como os Estados Unidos”. Secco frisou, no entanto, que a retração chinesa é temporária e que os embarques para o país asiático devem ser retomados no segundo semestre deste ano, por uma questão sazonal que eleva a demanda chinesa tradicionalmente no período. Nos primeiros meses deste ano, a China vem sendo apontada como a principal compradora da carne bovina brasileira. A expectativa, no entanto, é que esta venda possa recuar a partir dos dados deste mês. Estadão Conteúdo