Notícia

Demanda fraca faz com que tradicional reação nos preços da arroba do boi no RS seja a menor dos últimos 3 anos

Ao contrário do que aconteceu nos últimos 3 anos, quando a arroba do boi no RS registrou alta de 15% na entressafra, desta vez, esse elevação não passa de 4% Sem a reação esperada da demanda, o mercado do boi opera em estabilidade nestas últimas semanas do ano. As indicações que o pagamento do décimo terceiro salários e contratações temporárias pudessem impulsionar a compra de carne bovina frustraram as perspectivas. Conforme destaca o analista de Lance Agronegócio, Renato Bittencourt, a projeção "de especialistas, e do mercado, sinalizam poucas mudanças no cenário de estabilidade até o final do ano", diz. Já para o início de 2017, o recuo sazonal nas cotações pode ser potencializado pelo aumento da oferta e pouca reação da demanda. Diante do enfraquecimento nos preços dos animais de reposição, desde o segundo semestre de 2016, "a expectativa é de que a oferta de fêmeas enfraqueça as cotações nos primeiros três meses do próximo ano", alerta Bittencourt. Em regiões de confinamento, Bittencourt ressalta ainda, a terminação no pasto, desses animais que não foram para o cocho, nos primeiros meses de 2017. Assim, a combinação de maior disponibilidade de boiadas, somado ao fraco desempenho do mercado interno deve configurar um período de atenção aos pecuaristas. Rio Grande do Sul No Rio Grande do Sul, o intervalo de dezembro a fevereiro é marcado pela entressafra de animais. De acordo com o analista, nesse período é comum que a cotação da arroba registre altas de até 15%. Neste ano, porém, o acréscimo foi de apenas 3,6%, enfatizando que "a demanda fraca está falando mais alto que a menor oferta", diz Bittencourt. Por: Aleksander Horta e Larissa Albuquerque Fonte: Notícias Agrícolas