Notícia

RS: pecuarista mantém boi no pasto para atenuar baixa nos preços, diz Agência Safras

O mercado de boi gordo teve uma semana de preços mais baixos, ainda reflexo da Operação Carne Fraca. “A perspectiva é por nova queda das indicações no curto prazo, em um ambiente cercado de preocupação no mercado interno”, aponta o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias. Segundo ele, os pecuaristas devem manter uma estratégia de retenção dos animais nas pastagens, uma tentativa de arrefecer as pressões de baixa sobre os preços do boi gordo. “A reposição ao longo da cadeia tende a permanecer lenta mesmo durante a primeira quinzena do mês, período que tradicionalmente conta com maior apelo ao consumo”. A média de preços da arroba do boi gordo nas principais praças de comercialização ficou assim na primeira semana de abril: São Paulo – R$ 140,27 a arroba, contra R$ 146,15 em março. Goiás – R$ 125,00, contra R$ 129,71 a arroba. Minas Gerais – R$ 132,00, contra R$ 137,95 a arroba. Mato Grosso do Sul – R$ 129,83, contra R$ 135,08 a arroba. Mato Grosso – R$ 122,83, contra R$ 126,90 a arroba. As exportações de carne bovina “in natura” do Brasil renderam US$ 403,6 milhões em março (23 dias úteis), com média diária de US$ 17,5 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 98,2 mil toneladas, com média diária de 4,3 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 4.108,80. Na comparação com fevereiro, houve perda de 3,1% no valor médio diário da exportação, baixa de 3% na quantidade média diária exportada e queda de 0,1% no preço médio. Na comparação com março de 2016, houve perda de 6,1% no valor médio diário, baixa de 15,2% na quantidade média diária e valorização de 10,6% no preço médio. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços e foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior. Agência Safras