Notícia

Paralisação das unidades do JBS em MS pode contaminar mercado do boi em outros estados. Negócios estão parados

Decisão de paralisar atividades chega em momento ruim para pecuaristas que tem pouca margem para reter animais em confinamento Sete unidades do frigorífico JBS estão com atividades paralisadas no Mato Grosso do Sul devido a uma restrição de recursos definida em uma CPI da Assembleia Legislativa do Estado. Este fator pode refletir diretamente nos preços e no mercado do boi de forma geral, como destaca Douglas Coelho, da Radar Investimentos. Estes frigoríficos são responsáveis por abater 7,3 mil cabeças por dia no estado. Com isso, os demais frigoríficos adotam uma postura mais dura frente ao pecuarista ou, então, mantêm cautela, se colocando fora dos negócios. Os preços ofertados giram em torno de R$139/@, livre de impostos. No início da semana, as cotações estavam por volta de R$141/@. Poucos frigoríficos estão tentando negociar para conseguir preencher as escalas, que estão curtas. É natural, para Coelho, que este movimento ocasione em um "clima de ressaca" para o mercado, com dias mais fracos para os negócios, além do aumento de disponibilidade de animais em curtíssimo prazo. Ele aponta que boa parte dos frigoríficos do estado e também outros de localidades próximas, como o Triângulo Mineiro e São Paulo, podem sentir a influência do efeito JBS em suas atividades. Caso as paralisações continuem, um novo patamar de oferta deve se instalar nas próximas semanas. Por: Aleksander Horta e Izadora Pimenta Fonte: Notícias Agrícolas